O acaso nos governa. Ainda bem.

By October of 2012Blog, Cotidiano

O horário novo no primeiro dia te faz acordar devendo, acordar cansado, você já começa o dia uma hora atrasado. E o pior, meu amigo, é que o dia promete ser intenso. A pauta de assuntos pendentes não terminou depois da última noite em que você ficou até tarde antecipando o que viria. Pelo contrário, parece que nessas 6 horas de lua tudo só aumentou.

Pelo menos lá fora está chovendo, chuva quente, abafada. Mais molhada do que nunca, mais sufocante do que nunca, numa segunda-feira. Dia de banco, dia dos 3 caixas eletrônicos pifarem na sua vez, e de você precisar passar no caixa convencional para sacar dinheiro para o estacionamento. Mas não vai ter fila. Hoje, meu amigo, é seu dia de sorte.

Pelo menos não tem nenhuma reunião importante marcada, não tem nenhuma definição que vá mudar sua vida nos próximos seis meses a ser tomada em um momento leve e descontraído. Tá tudo sob controle, tá tudo em ordem. Seu mundo não virou ao contrário e do avesso (ao mesmo tempo) no último mês, e tá todo mundo te apoiando em todas as tuas decisões.

19H15.

Incrivelmente, você conseguiu sair cedo. Um pé pra fora, um raio de Sol no rosto.

Não é que aquele que te puxou o tapete 11 horas atrás está agora se justificando? E, olha só, não é que os argumentos dele são bons?

Bora pra casa. Shuffle no iPhone. Não estou em um dia de tomar decisões, o que o acaso me reserva?

Segue abaixo, a mensagem do acaso para mim – em 3 atos -, depois de um dia meio David Lynch, meio Almodóvar e que quase desbancou pro Lars Von Trier, ou pior, pro Kubrick.

A última com o Sol de Porto Alegre se pondo bem na minha frente.

Esse mesmo (http://instagram.com/p/RGbNjpQWVx/) que todo mundo publicou hoje no Facebook como um dos mais lindos dos últimos tempos.

Agora volta pra casa de orelha baixa e vai fazer o teu. O acaso já fez o dele.

João Silveira

Author João Silveira

More posts by João Silveira

Leave a Reply

three × 3 =